Meu caderno preferido para Bujo

quem acompanha meu instagram sabe que todo domingo publico meu spread semanal e aí muitas pessoas me perguntam qual o caderno que uso para meu bullet journal, então resolvi falar sobre esse tema hoje e vou falar um pouquinho sobre três modelos que eu usei e/ou uso e dizer qual o meu preferido para usar no meu dia a dia.

Leutchtturm1917: o caderno possui canto arredondado, 249 páginas numeradas que podem ser pautadas, quadriculadas, pontilhadas ou em branco, as últimas 8 folhas são destacáveis, tem um envelope reforçado, seu fechamento é por elástico, o papel é acid free com gramatura de 80g/m² e suas dimensões de 145mm (l) x 210mm (a) x 1,9mm (e), além de ter 3 páginas reservadas para o índice e duas fitas marcadoras de página na cor da capa, que pode ser dura ou flexível e o peso é 410g.

está disponível em 17 opções de cores para você escolher a que mais gosta ou usar uma para cada vez que começar um novo bujo. no Brasil só encontrei no Mercado livre e o valor é bem salgado, cerca de R$160,00, mas comprei pelo eBay e foi bem mais em conta, US$20,00.

 

no teste da caneta ele teve um desempenho excelente – como pode ver na foto – usei as canetas Tombow ATB, Tombow fudenosuke, Unipin, Sakura gel, Staedtler fineliner, Stabilo point 88 e Stabilo Boss pastel e dessas apenas essa última vazou um pouquinho para a outra página.

Cícero: possui uma linha específica para bullet journal que possui cantos arredondados, 160 páginas quadriculadas e pontilhadas, mas tem outras linhas com as versões pautadas e em branco também, tem um envelope reforçado, seu fechamento é por elástico, o papel é pólen com gramatura de 80g/m². dimensões 140mm (l)  x 210mm (a) x 14mm (e) e uma fita marcadora na cor da capa e o peso é 317g.

acho que tem poucas cores para as versões pontilhadas e quadriculadas, a pontilhada está disponível nas cores preta, turquesa e floral e a quadriculada nas cores preta e roxa. quando comecei a usar o método eu comecei usando o caderno da Cícero com folhas quadriculadas, na cor preta.

 

no teste da caneta ele teve um desempenho médio – ver na foto – pois muitas canetas vazaram para a outra página,  usei as canetas Tombow ATB, Tombow fudenosuke, Unipin, Sakura gel, Staedtler fineliner, Stabilo point 88 e Stabilo Boss pastel também. O preço é cerca de R$65,00.

A.Craft: aqui nesse sistema não é um caderno, mas um capa de couro sintético, flexível e que possui quatro elásticos para encaixar os blocos e é deles que vou falar. As capas tem variedade de cores e até mesmo estampas, os elásticos combinam com as cores, harmonizando perfeitamente. dimensão de 150mm (l) x 210mm (a). os blocos estão disponíveis em folhas pontilhadas, quadriculadas, pautadas ou em branco com 72 páginas, miolo em papel avena (amarelo) com gramatura de 90g/m² e capa em papel kraft. depois de montar meu bujo todo (a capa e os 4 blocos pontilhados) ele ficou com 40mm (e) e 510g.

 

no teste da caneta ele teve um desempenho excelente – como pode ver na foto – usei as canetas Tombow ATB, Tombow fudenosuke, Unipin, Sakura gel, Staedtler fineliner, Stabilo point 88 e Stabilo Boss pastel e dessas apenas a Satabilo Boss e algumas sakura gel vazaram um pouquinho para a outra página. O preço final do conjunto foi R$80,00, mas tem a vantagem de manter a capa e trocar apenas os blocos, por esse motivo preferi separar minhas coleções de livros, filmes, séries e meus cafés especiais nesse sistema.

depois de tudo que falei  aqui o meu caderno preferido para usar no dia a dia é o Leuchtturm1917, pois é mais leve, tem excelente qualidade da folha, o que permite que eu use várias canetas que gosto sem me preocupar se vou estragar o verso da folha. deixo aqui alguns spreads que fiz nesse caderno, você pode conferir mais no meu instagram.

 

mas também gostei muitos dos bloco da A.craft para ter em casa e fazer minhas coleções separadas – depois vou postar aqui como ficaram, afinal de contas ficava triste em ter que deixar minha estante de livros para trás cada vez que mudava de caderno.

legenda: (l) = largura / (a) = altura / (e) = espessura

Anúncios

Planejando o mês de junho

Olá, tudo bem com você?

Maio chegando ao fim e já é hora de pensar em junho, esse mês é especial para mim, é o mês do aniversário do Luciano, mês dos namorados e esse clima mais frio (mas não muito frio) excelente para curtir uma xícara de café ou chá bem quentinho e uma taça de vinho com tábua de queijos.

Mas vamos ao planejamento desse mês… esse mês escolhi esse tom de rosa, parece rosa chá da Tombow Dual Brush ABT 772 (não sei bem o nome da cor), mas é um tom de rosa mais frio que eu acho muito elegante e calmo.

Para o meu log mensal continuei com o layout de calendário, pois gostei muito desse jeitinho, fica em um tamanho bom e consigo escrever as coisas mais importantes para não esquecer e me dá uma visão bem geral do mês e das semanas.

Nessa página coloco também um lugar para anotar os meus livros do mês e minhas metas pessoais e aqui para o blog, além de datas que tenho que lembrar, como a vacina dos pets, cursos, data de aniversários…

Na página seguinte eu sempre coloco o meu diário da gratidão, essa página não pode faltar, expliquei bem sobre ela aqui, e esse mês no lugar de uma página em branco fiz um desenho super fofo que vi la no site da Kara Benz, o Boho Berry, achei muito cute e não foi difícil de fazer.

Vocês podem perceber que não sou boa de desenho, mas me esforço sempre a tentar coisas novas e ir melhorando aos pouquinhos.

Esse mês acrescentei uma página que espero me ajudar a criar lettering e frases de inspiração para o meu mês, às vezes eu reservava um espaço no spread semanal, mas faltava espaço para anotar frases mais longas e não dava para criar designes diferentes e mais elaborados. A página ficou bem ao lado do diário da gratidão.

Finalmente chegamos ao meu log semanal, continuei a fazer meu habit tracker nessa página, tem sido mais fácil lembrar de preencher e essa semana acrescentei uma tabela para meu look diário, ajuda a lembrar aquilo que usei e a perceber aquilo que gosto mais de usar, vai facilitar também a identificar roupas que não uso e a colocá-las para doação.

Para essa semana usei essa washitape lindinha do Totoro e fiz um desenho de uma xícara de café quentinha e aconchegante, assim como espero que seja o nosso mês. E por falar em café também adicionei uma página dos meus cafés gourmets preferidos, ainda estou ajeitando e pensando em como vou fazer as anotações ao certo, mas já comecei a registrá-los.

img_6945

Na verdade acrescentei essa página agora em maio, mas como ainda não tinha mostrado coloquei aqui para você conferir.

Esse foi meu planejamento do mês de junho, em breve mostro aqui mais um pouquinho, estou atrasada nas minhas leituras, então estou devendo os posts sobre meus livros, mas se Deus quiser vou conseguir colocar tudo em dia e voltar a escrever mais aqui.

Um beijinho!

 

 

 

Quais as cores da vida?

Olá! Quanto tempo não é mesmo?

Estava tão pra baixo que não conseguia pensar em escrever nada por aqui, mas depois de refletir um pouquinho sobre tudo que aconteceu recentemente conclui que escrever ajuda no processo de cura e que tudo na vida faz parte de um processo de amadurecimento.

Quando pensei no blog queria escrever sobre tudo aquilo que faz a vida colorida e bela e quando pensava nas cores com que queria colorir minhas ideias todas eram alegres – azul, rosa, amarelo, vermelho, branco… não imaginava a cor do luto, uma cor que remeteria a tristeza.

Mas a vida nos traz surpresas e nos faz passar por sentimentos que não gostaríamos de pensar, de sentir, de viver… e foi isso que aconteceu, de repente somos surpreendidos por uma perda que chegou de forma tão repentina, sem nexo, sem explicação, não dava para acreditar, o luto não fazia parte de meus planos no mundo das ideias e nem no meu mundo real.

Então depois de meditar um pouco e de rever cada acontecimento recente conclui que a vida é como uma tela em branco, vamos colocando nela as cores que gostamos e de vez em quando uma cor que parece destoar e destruir nossa arte, que sequer nos pertence, aparece no meio da composição, então ficamos olhando a tela e tentando entender o porque daquela cor que destoa tanto está ali.

Não temos como compreender… então um dia desses estava olhando alguns vídeos no instagram e vi um rapaz pintando essa tela, ela era grande e ele colocou a cor azul, com vários tons, depois colocou outra cor (não me lembro qual) e de repente colocou a cor preta, em muita quantidade. fiquei pensando o porque daquela cor que iria “estragar” a arte, mas ele continuou usando as tintas de forma coesa. No final do vídeo a arte ficou linda, o preto se encaixou na obra sem destoar mais.

Acredito que a vida também é assim, não compreendemos o por quê de alguma coisa no momento e talvez jamais venhamos a compreender, mas no final são esses acontecimentos que vão moldar quem somos e que vão nos transformar em pessoas mais fortes e melhores.

“Para tudo há uma ocasião, e um tempo para cada propósito debaixo do céu:
tempo de nascer e tempo de morrer, tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou, tempo de matar e tempo de curar, tempo de derrubar e tempo de construir,
tempo de chorar e tempo de rir, tempo de prantear e tempo de dançar” Eclesiastes 3:1-4

A imagem acima é do site pexels e do artista L∅nfeldt, veja aqui.

Bem… era isso que eu tinha para expressar hoje e espero que em breve minhas ideias fiquem coloridas com cores mais alegres novamente.

Como começar seu bullet journal

Olá! hoje vou falar um pouquinho sobre como começar a usar o método conhecido como bullet journal, pois recebi algumas perguntas no meu perfil do instagram e percebi que algumas pessoas ficam perdidas sem saber por onde e como começar, pois acabam vendo várias fotos de layouts e spreads superelaborados e que intimidam um pouco, aconteceu comigo também.

Então se você está perdido sobre o método te aconselho pesquisar no site do criador dele, Ryder Carroll, pois nada melhor do que quem elaborou o método para explicá-lo, não é mesmo? Você vai perceber que ele é muito simples e o Ryder usa nesse vídeo as únicas ferramentas necessárias para um bullet journal – caderno e caneta.

Assista aqui o vídeo que explica o método… Percebeu como ele é incrível? Esse método,  consegue reunir tudo que precisa em um único lugar e não é preciso tanto tempo assim para planejar como muitas pessoas imaginam. Alguns minutos do dia e você consegue organizar tudo.

Bem… mas vamos ao que interessa. A primeira coisa que você vai precisar é de um caderno e a única exigência é que ele seja em branco, isto é, que não venha com nenhum espaço delimitado quanto ao que você vai anotar, o estilo de folha pode ser em branco, quadriculado, pontilhado ou pautado, tanto faz, fica de acordo com sua preferência.

Já usei o caderno com as folhas quadriculadas, atualmente uso o pontilhado, mas só porque eu gosto de desenhar e enfeitar as páginas e eu prefiro porque fica mais fácil de usar e com o visual mais clean.

A segunda coisa que será necessário é uma caneta, aí pode ser de qualquer modelo, qualquer marca e de qualquer cor… só oriento que seja uma caneta que você goste de usar e que deixe a escrita mais confortável e a letra mais definida, afinal de contas você vai precisar compreender aquilo que escreveu, não é verdade?

Depois que escolheu seu caderno e caneta está na hora de colocar em prática o método, primeiro você deve definir qual a utilização que você quer para o seu bujo, pode ser apenas agenda ou utilizar também para conhecer seus hábitos, acompanhar seus gastos, leituras, alimentação, economias, planejar suas viagens, tarefas domésticas, diário e outras ideias. Eu utilizo o meu para várias coisas, até porque meus compromissos são muito poucos e quase não variam.

Já li que muitas pessoas fazem brainstorming para saber o que colocar no bullet journal, mas comigo foi bem simples, comecei usando como agenda e a medida que pesquisava mais sobre o método ia acrescentando mais e mais coleções, bem de acordo com as necessidades que iam surgindo. Quando alguma coleção não dava certo ou eu percebia que era desnecessária eu não usava mais e essa é a beleza desse método, a versatilidade e a possibilidade de adaptação às suas necessidades atuais.

Para que o método funcione as únicas coisas que devem realmente conter no seu bullet journal são: índice, legenda, log futuro, log mensal e log diário. (Log = diário = registro) Lembra do vídeo do Carroll? Então vamos começar…

As primeiras páginas do seu caderno devem ser reservadas para o índice, aqui você vai anotar o número da página para cada assunto que você acrescentar no seu bujo, esse índice é muito importante para quando precisar retornar a algum assunto específico ou para alguma coleção, portanto se tem um índice as páginas devem ser numeradas. Não deixe um número pequeno de páginas, pois pode faltar espaço para anotar suas entradas.

Em seguida você deve colocar suas legendas, são elas que dão sentido ao método, são os bullets. Cada um utiliza as legendas que mais se adequam ao dia a dia e a sua preferência, eu já utilizei símbolos diferentes no início, usava um quadrado para as tarefas e preenchia todo o quadrado quando concluía a tarefa, mas percebi que demandava muito esforço e mudei as tarefas para um ponto (·) e quando a concluo marco um x, isso facilita também o uso dos outros símbolos que uso.

Também já utilizei o sistema de cores, onde cada cor estava relacionada a uma parte da minha rotina, pessoal, trabalho, estudos, etc… mas pelo mesmo motivo resolvi usar a mesma cor para tudo, como falei antes, não tenho tantos compromissos assim, além disso ter que ter sempre disponível as cores para marcar ou escrever era bem difícil.

Atualmente mantenho um método separado para o meu trabalho e fica na minha mesa no local mesmo, anoto ali todas as observações e todos os documentos que devo encaminhar e os prazos que preciso cumprir.

Depois deve-se reservar um espaço e colocar o log futuro, que nada mais é que um local onde se coloca todos os meses do ano, ou os seis meses a partir do qual você está. Qual a importância disso? Lembra que o caderno está em branco? Então digamos que hoje (23/04) eu receba um convite ou tenha que agendar uma reunião para junho… onde anotaria esse compromisso? Essa á a importância desse espaço, você também pode anotar o aniversário das pessoas, datas comemorativas, feriados, viagens e muitas outras coisas, aí varia o espaço que vai reservar para cada mês. eu costumo deixar uma página para cada três meses.

Depois basta acrescentar o log mensal que é onde você vai colocar cada dia do mês atual com os dias da semana na frente, consulta o log futuro e anota todos os compromissos na frente das datas a que se referem. A partir daí toda vez que um compromisso aparecer você anota na data. Existem vários layouts e basta escolher o que melhor se adapta a sua rotina, atualmente eu uso um calendário que ocupa duas páginas do caderno, mas já usei o layout de lista no canto esquerdo da página, no meio da página e dividia em pessoal e profissional.

E finalmente chegamos no log diário que é o local onde você irá anotar cada compromisso e tarefa do dia a dia, aí basta consultar todos os dias aquilo que tem planejado e a noite checar tudo o que foi feito, aquilo que não foi cumprido será transferido para outra data ou até mesmo descartado… lembra do vídeo? Bem… atualmente eu uso um log semanal, ele é o suficiente para mim, organizo as tarefas a cumprir em toda a semana e os compromissos diários eu acrescento nas datas, tem funcionado bem para mim.

Bem… era isso que eu tinha para falar sobre o método, a principio parece meio complicado, mas não é não, é muito prático e a gente se encanta com ele. Recomendo que todo mundo tente usar e achar aquilo que é melhor para sua rotina. Quer conhecer mais? Eu aprendi muito, e ainda aprendo, com a Kim do Tiny Ray of Sunshine, com a Kara Benz do Boho Berry, com a Maki do Desancorando (esse é em português) e com o livro O diário em tópicos da Rachel Wilkerson Miller, da editora Sextante.

Se tiver alguma dúvida pode falar comigo por aqui ou pelo meu instagram que será um prazer te ajudar. 🙂

Contando sobre leituras – Tartarugas até lá embaixo.

Nunca havia lido um livro do John Green, então resolvi ler esse livro quando vi vários comentários sobre a abordagem diferenciada que ele fazia sobre TOC (transtorno Obsessivo Compulsivo), achei o tema interessante.

Quando comecei a leitura achei que seria um livro meio adolescente, pois apresenta a história de Aza Holmes, uma adolescente de 16 anos e sua amiga de escola Dayse, escritora de fanfic de Star Wars, as duas tentam receber uma recompensa através de informações sobre um milionário.

Mas então, a partir dessa trama, o autor tece uma teia de acontecimentos que vão crescendo e tornando-se maiores, Aza vive em um espiral, como ela mesma define, de pensamentos que a dominam, vive presa por um medo de se infectar, abre constantemente  uma ferida para tentar sentir-se no controle, tem resistência em usar as medicações prescritas pela psiquiatra, pois não se conforma em ter que se medicar para ser normal. O livro te prende nessa espiral de pensamentos.

O drama da adolescência é somado ao drama do transtorno que a acompanha e um simples beijo a faz surtar em relação a contaminação, Aza tenta lutar contra os pensamentos, mas não consegue. o livro conta também com diversas citações, que complementam o pensamento do autor e enriquecem a leitura.

No final não há uma felizes para sempre, um final feliz como vemos em alguns romances, mas é um desfecho mais real de uma história, dentro de outros desfechos, achei essa resolução muito boa, foge do tradicional.

Essa visão do autor quanto ao TOC foi enriquecida por sua experiência pessoal e os medos que o acompanham. Em alguns momentos da leitura tentava pensar onde o título se encaixava na história e finalmente ele foi explicado.

Recomendo a leitura do livro e quero conhecer outros títulos do autor. E você, já leu algum livro do John Green? Conta aqui o que achou. 😊

Minhas leituras em abril

Quem me acompanha a um tempinho sabe que amo livros e planejamento, então hoje trouxe para vocês os livros que eu separei para ler esse mês, lembrando que minha meta é ler quatro livros por mês.

Também tenho tentado ler livros que eu não costumava ler e confesso que tenho gostado muito e me surpreendido com alguns títulos e autores, é sempre bom expandir suas opções e aprender um pouquinho com cada percepção e visão de mundo, um livro é capaz de nos fazer conhecer novos lugares (através do imaginário) e culturas.

Bem, mas vamos lá… vou apresentar cada um deles  e quem sabe você se anima a ler algum comigo.

1- Em algum lugar nas estrelas, Clare Vanderpool, editora Darkside, 276 páginas.

“A grande ursa negra, impressionante como a Ursa Maior, balançou a cabeça de um lado para o outro, e seu rugido fez tremer a passagem próxima da Trilha Apalache. Eu digo que é ela, mas a verdade é que não dava para ter certeza. Não havia marcas que indicavam que era fêmea. Não havia filhotes à vista. Mas eu sabia. Eu a conhecia como conhecia minha própria mãe. Era sua postura – a autoridade absoluta sobre nós, dois garotos presos por seu olhar. E era sua vontade inabalável de nos manter vivos.”

É dessa forma que a autora inicia o livro, que traz uma personagem com TEA (transtorno do espectro autista) e dia 02 de abril é o Dia Mundial da Conscientização do Autismo e existem vários níveis diferentes de autismo.

O livro é muito fofo, em sua estética, tem capa dura, estou gostando muito da leitura até o momento, depois vou escrever uma resenha, esse foi o livro escolhido pelo Clube do livro Infinistante, criado pela Maki, Mel e Loma, quem quiser se inscrever no clube é só clicar aqui.

2- O diário de Anne Frank, Tradução de Alves Calado, 49ª edição, editora BestBolso, 373 páginas.

Trata-se do relato de uma menina judia que ficou escondida anos em um sótão em uma casa se escondendo dos nazistas, junto com sua família, para tentar em vão sobreviver. Como gosto de usar diário em tópicos, esse texto em forma de diário e relatos curtos é de grande interesse para mim. Saber extrair apenas aquilo que é importante relatar no nosso dia a dia é um grande exercício.

3- O pequeno príncipe, Antoine de Saint-Exupéry, editora agir, 95 páginas.

Na contracapa do livro está escrito “Livro de criança? Com certeza. Livro de adulto também, pois todo homem traz dentro de si o menino que foi. Como explicar a adoção deste livro por povos tão variados, em tantos países de todos os continentes? Como explicar que ele seja lido sempre por tantos milhões e milhões de pessoas? Como explicar a atualidade deste livro traduzido em oitenta linguas diferentes? Como compreender que uma história aparentemente tão ingênua seja comovente para tantas pessoas? O Pequeno Príncipe devolve a cada um o mistério da infância. De repente retornam os sonhos. Reaparece a lembrança de questionamentos, desvelam-se incoerências acomodadas, quase já imperceptíveis na pressa do dia a dia. Voltam ao coração escondidas recordações. O reencontro, o homem-menino.” – Amélia Lacombe

Li esse livro quando era criança, ganhei de minha madrinha e estou ansiosa para ler novamente, espero conseguir fazer uma resenha sobre ele.

4- Amor e gelato, Jenna Evans Welch, editora Intrínseca, 319 páginas.

Trata-se de um romance que tem como plano de fundo a linda cidade de Florença, então estou muito empolgada para conhecer os lugares e a cultura, a autora viveu em ali parte de sua adolescência.

Texto da contracapa: “Florença é o lugar perfeito para se apaixonar e o pior lugar para ficar de coração partido”.

5- A travessia, William P. Young, Editora Arqueiro, 197 páginas.

Contracapa: “Jesus pegou a mão de Tony. – Na jornada que está prestes a começar, você poderá escolher curar fisicamente uma pessoa, mas só uma. Assim que escolhê-la, a sua jornada chegará ao fim. – Posso curar uma pessoa? Está me dizendo que sou capaz de curar quem eu quiser? – Na mesma hora, seus pensamentos se voltaram para o seu próprio corpo em um quarto de UTI. – Deixe-me ver se entendi. Posso curar qualquer pessoa que quiser? Jesus se inclinou na direção dele. – Na verdade, você não pode curar ninguém, não sozinho. Mas estarei do seu lado, e a pessoa por quem você decidir orar, eu a curarei através de você.”

“Um derrame cerebral deixa Anthony Spencer, um multimilionário egocêntrico, em coma. Quando “acorda”, ele se vê em um mundo surreal habitado por um estranho, que descobre ser Jesus, e por uma idosa que é o Espírito Santo. À sua frente se descortina uma paisagem que lhe revela toda a mágoa e a tristeza de sua vida terrena. Jamais poderia ter imaginado tamanho horror. Debatendo-se contra um sofrimento emocional insuportável, ele implora por uma segunda chance. Sua prece é ouvida e ele é enviado de volta à Terra, onde viverá uma experiência de profunda comunhão com uma série de pessoas e terá a oportunidade de reexaminar a própria vida. Nessa jornada, precisará “enxergar” através dos olhos dos outros e conhecer suas visões de mundo, suas esperanças, seus medos e seus desafios. Na busca por redenção, Tony deverá usar um poder que lhe foi concedido: o de curar uma pessoa. Será que ele terá coragem de fazer a escolha certa?”

6- Serafina e a capa preta, Robert Beatty, Editora Valentina, 240 páginas. Livro 1

Apresentação do livro: “Serafina nunca teve motivos para desobedecer ao seu pai e se aventurar além da Mansão Biltmore. Há espaço de sobra para ser explorado naquela casa imensa, embora ela precise tomar cuidado para jamais ser vista. Nenhum dos ricaços lá de cima sabe da existência de Serafina; ela e o pai, o responsável pela manutenção das máquinas, moram secretamente no porão desde que a garota se entende por gente. Mas quando as crianças da propriedade começam a desaparecer, somente Serafina sabe quem é o culpado: um homem aterrorizante, vestido com uma capa preta, que espreita pelos corredores de Biltmore à noite. Após ela própria ter conseguido – depois de uma incrível disputa de habilidades – escapar do vilão, Serafina arriscará tudo ao unir forças com Braeden Vanderbilt, o jovem sobrinho dos donos de Biltmore. Braeden e Serafina deverão descobrir a verdadeira identidade do Homem da Capa Preta antes que todas as crianças…
A busca de Serafina a levará ao interior da mesma floresta que tanto aprendeu a temer. Lá, descobrirá um esquecido legado de magia, que tem relação com a sua própria origem. Para salvar as crianças, Serafina deverá procurar as respostas que solucionarão o quebra-cabeça do seu passado.”

Descobri esse livro olhando na livraria e a contracapa me chamou atenção, depois conto o que achei.

Bem… são esses livros que pretendo ler esse mês. Espero que tenha gostado e que se anime a conhecer algum deles. 😊

Trazendo à memória

Uma das páginas que eu sempre deixo no meu bullet journal é a de memórias, cada dia eu escrevo uma palavra que marcou aquele dia para mim e esse mês foram muitas coisas.

Esse exercício diário me faz parar e refletir cada pedacinho do meu dia e tentar ressaltar apenas coisas boas dos momentos tempestuosos, mas é claro que muitas vezes não tem jeito, existem acontecimentos que despertam sentimentos muito fortes e que não tem como desvencilhar, ninguém está imune a situações desfavoráveis.

Esse mês aconteceram muitas coisas na minha vida e que me fizeram refletir, celebrar e chorar… cada uma delas foi colocada como lembrança a ser sempre consultada, estão marcadas nessa página.

DSCN4162

Esse mês aproveitei muito o tempo em família, fomo a praia e aproveitamos um mar calma, a água na temperatura certa, o sol estava agradável, me lembrou meu tempo de infância onde ficava horas dentro do mar. Esses momentos me proporcionam uma sensação de bem-estar imensa, parece que todo o estresse desaparece.

Fui a algumas cafeterias novas para conhecer novos lugares e desfrutar de novos sabores, além disso também conheci algumas marcas de café gourmet e pude trazer para casa café excelentes para aproveitar pelas manhãs, depois das 14h não posso tomar café, meu sono se vai… então a tarde geralmente curto tomar um chá, o que eu mais gosto é o de frutas silvestres.

Aprendi muitas coisas novas, experimentei novos desafios e estou amando cada um deles, estou praticando lettering sempre que possível, pensando até em participar de um workhop, melhorei um pouquinho, mas ainda preciso melhorar bem, às vezes sou impaciente e esqueço que tenho que desenhar as letras,aí quando vejo, já foi escrita meio desajeitada.

Outra coisa que marcou esse mês foram minhas leituras, minha meta é ler quatro livros por mês, mas já bati essa meta e estou lendo três ao mesmo tempo, não sei se vou conseguir termina-los ainda esse mês, mas estou muito feliz com os resultados.

Teve churrasco na casa da Dani, muitos amigos queridos juntos, aproveitamos os momentos de diversão para estreitar nossos laços, é muito bom quando se trabalha com pessoas tão especiais, que parecem uma família.

Celebramos a vida através dos aniversários de muitas pessoas especiais, março é aniversário de muitos primos e também de minha mãe e dos meus dois sobrinhos, fico muito feliz em poder celebrar com eles mais esse ano que Deus permitiu que estejamos juntos.

Ao contrário, também foi um mês em que perdi uma colega de trabalho, ainda tão jovem e cheia de sonhos, isso me fez refletir sobre a brevidade da vida, sobre a finitude de todas as coisas, mas também na esperança do porvir. Acreditar que aqui é apenas uma fração do que nos espera faz toda diferença na maneira que vamos nos portar diante da morte, mas nem por isso diminui a dor.

As águas de março foram muito presentes no início do mês, mas depois deram uma trégua, então viajamos um pouquinho, aproveitar o tempo de descanso mudando a rotina é sempre maravilhoso, aproveitar a companhia da família, reservar tempo para as pessoas que amamos.

O ócio criativo foi muito importante nesse período, sempre que posso aproveito meu tempo para relaxar e aprender coisas novas e que me deem prazer, mas não confundam ócio com preguiça. Ócio criativo é um tempo em que há uma pausa nas atividades laborais e que aproveitamos para ter atividades para descansar e ter momentos de lazer, geralmente o meu é a noite, mas como fiquei de férias duas semanas eu o estendi as tardes também.

Bom… esse foi o resumo do meu mês… espero que o mês de vocês tenha sido bom. Vocês se lembram de tudo que aconteceu? Que tal fazer esse exercício também, anotar cada detalhe de cada dia. Depois me contem o que acharam. 🙂